Principal > Notícia > Atendimentos psicossociais da Defensoria são ofertados por telefone durante a pandemia

Atendimentos psicossociais da Defensoria são ofertados por telefone durante a pandemia

27 de março de 2020

WhatsApp Image 2020-03-26 at 18.27.14

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) alterou a oferta de serviços da Defensoria Pública do Estado no período de quarentena estabelecido pelo Governo. Dentre eles, os atendimentos psicossociais dos núcleos de Fortaleza e do interior do Ceará. Enquanto o risco de transmissão do Covid-19 for iminente e a situação de emergência permanecer, psicólogas e assistentes sociais da Defensoria atenderão os problemas da população por telefone. Trata-se de uma forma de Defensoria colaborar com a não aglomeração de pessoas sem deixar de acolher os assistidos.

“Estamos fazendo isso porque entendemos que a situação de confinamento pode agravar ainda mais questões psicossociais. Todos fomos pegos de surpresa com essa pandemia, mas estamos nos adaptando e vamos garantir que as pessoas possam acessar o serviço. Esses canais são para que a gente não os deixe sem escuta”, explica a coordenadora das equipes psicossociais da Defensoria, psicóloga Andreya Arruda.

“As demandas que nos chegam muitas vezes têm um caráter que não é só jurídico. Vêm de um contexto de saúde mental, por exemplo, que não deixa de existir por conta do isolamento social. Muito pelo contrário: é uma demanda que vai ser agravada, porque a pessoa está sem convívio ou com vínculos fragilizados ou sem suporte familiar”, lista Andreya Arruda.

Esse é um público que busca a rede psicossocial em busca de um espaço de escuta. “E a gente não pode simplesmente não ouvir mais. O impacto disso é grande na vida dessas pessoas. Quando tem fator familiar, a gente sempre nota muita frustração, muito desgaste psíquico. Tem assistido que nos demanda múltiplos olhares. Não é só a gente dizer o que ele precisa, mas como ele precisa. Olhar o assistido de várias perspectivas”, acrescenta Andreya.

Tão logo a pandemia passe, os atendimentos presenciais serão retomados. Por ora, as equipes psicossociais da Defensoria elaboram um levantamento da situação das redes psicossociais do Ceará para definir uma logística de atendimento de pessoas em situação de rua, por exemplo. A ideia é que, diante de uma demanda do tipo, os equipamentos que já acolhem esses indivíduos para banhos, refeições e higienização acionem o atendimento psicossocial da Defensoria por telefone.

 

LISTA DE CONTATOS  DE ATENDIMENTO DO PSICOSSOCIAL

E-mail: psicossocial@defensoria.ce.def.br

 

TELEFONES DE ATENDIMENTO POR AREAS

Em Fortaleza, busque atendimento psicossocial nas áreas:

 

Direitos da mulher: 85 98560-2709  (8h às 14h) e 85 99294-2844 (11h às 17h)

Direitos da pessoa presa 85 99171-7476 (8h às 14h) e 85 98163-3839 (11h às 17h)

Direitos da Infância e Juventude: 85 9922-04953  (8h às 14h) e 85 98717-3004 (11h às 17h)

Atendimento inicial da Defensoria (família e cível): 85 99731-0293  (8h às 14h) e 85 98866-4520 (11h às 17h)

Adolescente em Conflito com a Lei: 85 9816-20641 (8h às 14h) e 85 9868-30897 (11h às 17h)

 

No Cariri, busque atendimento psicossocial nas áreas:

 

Atendimento psicossocial no Cariri:  (88) 9.8842.0757 (de 8h às 14h e de 11h às 17h)