Principal > Notícia > Curso de mediação de conflitos aborda importância da escuta ativa

Curso de mediação de conflitos aborda importância da escuta ativa

10 de setembro de 2018

IMG_4135

Discutir técnicas e princípios envolvidos na mediação de conflitos. Esse foi o objetivo do segundo dia da capacitação voltada para mediadores comunitários e defensores públicos, ocorrido nesta segunda-feira (10), no auditório Jesus Xavier de Brito, na Defensoria Pública do Estado do Ceará. A formação teve início no último dia 3 e é uma realização da Escola Superior da Defensoria Pública (ESDP). Além dos participantes em Fortaleza, a aula também foi assistida por mediadores, membros da equipe multidisciplinar e estagiários do núcleo do Crato, na região do Cariri.

IMG_4116A aula foi reforçada pela análise de vídeos que traziam casos de mediação de conflitos. A partir dos exemplos, os participantes foram levados a refletir sobre pontos positivos e negativos das decisões tomadas pelos mediadores. O momento também foi de compartilhar experiências, já que o estudo trazia a identificação com situações já vivenciadas.

A capacitação foi ministrada pela professora de Direito e mediadora de conflitos, Emmanuela Cipriano. Segundo ela, a técnica da escuta ativa é uma das mais relevantes na prática, uma vez que permite ao mediador facilitar o diálogo entre os envolvidos, em busca de uma solução para o conflito em questão. “Essa escuta traz à tona os reais interesses envolvidos no conflito. Consiste em fazer perguntas qualificadas e assertivas, gerando um diálogo de aproximação. Essa construção pode ajudar que as partes consigam alcançar o objetivo e, caso elas queiram, alcançar uma satisfação maior, um consenso”, explica.

Para Emmanuela, ter uma postura de escuta propositiva é um desafio para todos os mediadores, sendo um dos focos da formação. Para ela, isso passa pelo interesse e respeito ao ser humano. “Por trás de um processo existem pessoas. A técnica está aí para facilitar, mas não há um roteiro fixo a seguir na mediação. Antes de tudo, é preciso se livrar de preconceitos e julgamentos. Devemos nos colocar sempre no lugar do outro”, defende.

Para a mediadora comunitária Roberta Gomes, do Núcleo Descentralizado do Mucuripe, discutir técnicas e trocar experiências têm ampliada a percepção dela no exercício diário da função. “Esse momento tem sido enriquecedor. Estou tendo contato com depoimentos de pessoas que já estão há dez anos mediando conflitos. O Núcleo Descentralizado do Mucuripe, por exemplo, traz relatos de uma realidade que eu só imaginava. Então, é algo que promove nosso crescimento para a mediação”, conta Roberta.

WhatsApp Image 2018-09-11 at 09.30.17O formação acontece no mês em que se celebra o Dia do Mediador Comunitário no Ceará, na próxima quinta-feira (13). A aulas seguem até o dia 24 de setembro.