Principal > Notícia > Defensoria Pública finaliza o primeiro processo de adoção de 2018 em Juazeiro do Norte

Defensoria Pública finaliza o primeiro processo de adoção de 2018 em Juazeiro do Norte

30 de janeiro de 2018

adoção2018

Um processo de adoção promovido pela Defensoria Pública de Juazeiro do Norte em 2017 teve um desfecho feliz , na manhã da última sexta-feira (26). Pedro Duarte e Vera Lúcia Alexandre Costa se habilitaram para o Cadastro Nacional de Adoção em 2014 e, com o apoio da Defensoria Pública, conseguiram, após sentença favorável da justiça, adotar a pequena Maria Vitória, de 3 anos. Na semana passada, eles receberam no Fórum de Juazeiro do Norte a certidão de nascimento da criança, tornando-se a primeira adoção pelo Cadastro Nacional de Adoção deste ano no Ceará.

A defensora pública Ramylle Maria de Almeida Holanda que participou do processo jurídico explicou que é simbólico a cidade de Juazeiro do Norte registrar o primeiro caso de adoção do Estado no ano de 2018, através do Cadastro Nacional de Adoção. “Antes o cadastro não funcionava a contento. Uma realidade que precisa ser modificada, principalmente no interior do país”, destaca Ramylle.

Há quase três anos a Defensoria começou a desenvolver em Juazeiro do Norte o Projeto “Abrigo Não é Família” que tenta minimizar o tempo de acolhimento de crianças em abrigos, agilizando seus processos, regularizando a situação e promovendo, quando necessário, a colocação destas crianças em famílias substitutas. “Agora começamos a colher os frutos do trabalho. Ver Maria Vitória ganhando um lar e uma família que lhes dedica amor e cuidados nos traz a certeza de que estamos trilhando o caminho certo”, comemora a defensora.

Vera Lúcia conheceu a filha já no abrigo e foi paixão a primeira vista. “Recebi uma ligação dizendo que encontraram uma criança de acordo com o nosso perfil que estava no cadastro. A Vitória já estava no abrigo desde pequenininha porque era vítima de maus tratos. Mas quando chegamos lá foi muito emocionante. Meu coração encheu de alegria. Não consigo descrever. Vi minha filha nascer naquele momento. Ela tava doentinha, com virose, mas quando a gente se olhou, os olhinhos dela brilharam”, relembra emocionada.

A sentença de homologação do pedido da Defensoria foi proferida pelo juiz Matheus Pereira Júnior, designado para atuar durante o mutirão na 2ª Vara Cível de Juazeiro do Norte, que determinou a entrega imediata do registro da criança com o sobrenome da nova família. “Foi um momento de alegria porque, ao longo de processos como este, há um desgaste emocional muito grande, desde à espera para serem vinculados a crianças, pareceres, visitas técnicas até chegar ao julgamento. Pedro e Vera Lúcia já estavam com a guarda da criança há seis meses e hoje se tornaram efetivamente os pais da Maria Vitória, deixando todos emocionados”, finaliza a defensora.

A entrega da certidão de nascimento aconteceu durante a força tarefa de análise dos processos de adoção de Juazeiro do Norte com o objetivo de dar mais celeridade. Além dos pais e da criança, participaram da entrega do registro os defensores públicos Célio Pereira da Costa e Ramylle Maria de Almeida Holanda; o desembargador Inácio de Alencar Cortês Neto; o juiz Matheus Pereira Júnior e o promotor de justiça, Dairton Costa de Oliveira.