Principal > Notícia > Oficina de Pais e Filhos acontece no Núcleo Descentralizado do Mucuripe

Oficina de Pais e Filhos acontece no Núcleo Descentralizado do Mucuripe

20 de agosto de 2019

oficina filhos mucuripe

Nesta quinta-feira, dia 22, a partir de 8h, a Defensoria Pública do Ceará realiza a Oficina de Pais e Filhos na sede do núcleo descentralizado no bairro Mucuripe, localizado na avenida Vicente de Castro, 5740 (dentro do quartel do corpo de bombeiros). A atividade faz parte de um programa educacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) direcionado às famílias que enfrentam a fase de reestruturação familiar, motivada pelo divórcio entre os pais.

Será a primeira vez que a oficina acontece no núcleo descentralizado no bairro Mucuripe e será direcionada para um grupo específico, pré-selecionado de famílias assistidas, com o objetivo de dar apoio durante o processo de divórcio ou separação e ajudar a lidar com a nova etapa, estabelecendo uma boa parceria que visa à proteção dos filhos, ajudando-os a superar a fase mais complicada do rompimento.

De acordo com a defensora pública e supervisora do Núcleo Descentralizado do Mucuripe, Michele Alencar, é fundamental propiciar momentos como esses para ajudar a facilitar o diálogo. “Nosso intuito é auxiliar todos os integrantes daquele núcleo familiar a superarem as eventuais dificuldades inerentes ao divórcio, sem maiores traumas, sobretudo os filhos”, comenta a defensora. Ainda de acordo com Michele Alencar, a oficina trará uma abordagem especial, cuidadosa, com material apropriado e instrutores que vão auxiliar pais e filhos nesse processo.

Durante a oficina, a equipe do setor de Psicossocial da Defensoria Pública também estará presente. “Em momentos assim, procuramos atender a todos os membros do núcleo familiar. Os pais precisam de uma orientação para que se fortaleçam e também possam ajudar os filhos nessa nova etapa da vida. Já os filhos, sejam as crianças ou adolescentes, merecem um local seguro e um acolhimento especial, onde possam explorar seus sentimentos e adquirir estratégias para se adaptarem à essa nova realidade”, pontua a psicóloga e coordenação do setor de Psicossocial da Defensoria Pública do Estado do Ceará, Andreya Arruda.