Principal > Notícia > Oficina de pais e filhos conscientiza sobre fortalecimento de vínculos familiares

Oficina de pais e filhos conscientiza sobre fortalecimento de vínculos familiares

8 de outubro de 2018

oficinapais e filhosCerca de 25 pessoas, entre pais, mães e filhos, foram recepcionados no auditório da sede da Defensoria Pública do Estado do Ceará para um momento de reflexão e aprendizado. São famílias atendidas pelo Núcleo de Solução Extrajudicial de Conflitos (Nusol) e que foram convidadas para mais uma edição da Oficina de Pais e Filhos, realizada na última sexta-feira (5 de outubro). As histórias têm em comum o fim do relacionamento conjugal, mas a busca é por um desfecho que não cause prejuízo emocional, buscando o fortalecimento dos vínculos familiares. A oficina segue diretrizes traçadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

WhatsApp Image 2018-10-08 at 10.02.16(4)

Após a recepção, cada público foi direcionado para salas especiais: duas compostas por pais e em outro espaço, pelos filhos. Segundo a defensora pública e supervisora do Nusol, Rozane Magalhães, a ideia é trabalhar com grupo de maneira direcionada, para fomentar o diálogo visando a solução de um conflito satisfatório para todos. “É um momento reflexivo, mas também de educação em direitos, sobretudo para os adultos. Cada um, na sua individualidade, vai ser levado a pensar em como pode melhorar a relação de pais e filhos. Afinal, a relação matrimonial pode ter sido finalizada, mas a relação parental permanece e deve ser bem cuidada”, comenta Rozane.

Oficina de pais e filhos conscientiza sobre fortalecimento de vínculos familiaresNesta edição, foi dada atenção especial às crianças, por conta do mês de outubro e por ser um público que, em muitos casos, encontra obstáculos para assimilar a ruptura da união dos pais. Com auxílio de profissionais da área psicossocial e do direito, os pequenos foram recepcionados pelos personagens Homem Aranha e Capitão América, desenharam, fizeram colagens, ouviram histórias e também relaxaram. “A coisa que eu mais gosto de fazer é ficar em casa, com minha família inteira. Mas meus pais se separaram, e estou me acostumando”, externou uma das crianças durante a atividade conhecida Círculo de Construção de Paz.

Trata-se de uma prática de Justiça Restaurativa implementada nesta edição da oficina, por meio de parceria com a Vice-Governadoria do Estado do Ceará. Esse momento foi realizado pela psicóloga da Defensoria Pública, Andreya Arruda Amendola, juntamente com Erika Chaves e Jéssica Araújo da Silva, membros da Coordenadoria e Mediação Social, Justiça Restaurativa e Cultura de Paz, vinculado ao Gabinete da Vice-Governadoria do Ceará.

No espaço dedicado aos adolescentes, a canção “Pais e Filhos”, da banda Legião Urbana, foi utilizada como ponto de partida para uma conversa aberta com os jovens. A ideia é trabalhar a empatia. “Geralmente, o adolescente carrega uma culpa pelo fim do casamento dos pais. Nós incentivamos a reflexão de que eles podem entender o ponto de vista do pai e da mãe, que a melhor saída é saber que eles continuam uma vida após o término conjugal”, explica a psicóloga Úrsula Góes, que integra a equipe psicossocial da Defensoria Pública.

“Preparamos um momento especial para a famílias, com carinho, porque é um momento importante. Eles serão atendidos posteriormente nas sessões de mediação, e as oficinas integram esse esforço em prol do diálogo e do fortalecimento de vínculos”, complementa a defensora pública Rozane.

Além da presença das defensoras públicas Rozane Magalhes e Célia Serpa, participaram das oficinas os estagiários e colaboradores do Nusol; a coordenadora das Defensorias da Capital (CDC), Natali Massilon Pontes; a equipe Psicossocial da Defensoria Pública, composta também por estagiários, voluntários e mediadores dos núcleos descentralizados; a diretora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais e Soluções de Conflitos do Tribunal de Justiça do Ceará (Nupemec), Mariana Mont’Alverne; além da psicóloga do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de Fortaleza (Cejusc), Mônica Sant’Ana Mantini, responsável pelas Oficinas de Pais e Filhos.

Participaram das Oficinas as instrutoras: Maria do Socorro Serpa Barros, Mediatriz Parente Camelo, Ursula Goes Job, Rozilene Frota, Joyce Anne Melo Arruda Firmino, Suzyanne de Kassya Ventura Pessoa de Paula.

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.