Principal > Notícia > Nadij participa de ação lúdica na Casa Sol Nascente

Nadij participa de ação lúdica na Casa Sol Nascente

1 de novembro de 2018

WhatsApp Image 2018-11-01 at 09.59.08

Corrida de saco, estoura balão, cabo de guerra, corrida e muita risada. Brincadeiras que transportam as crianças para um outro mundo, de mais fantasia e diversão, e menos sofrimento. Foi essa sensação que 17 crianças da Casa Sol Nascente, localizada no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), em Fortaleza, experimentaram nesta quarta-feira (31). Através de parcerias, o Núcleo de Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude (Nadij) da Defensoria Pública do Estado do Ceará integrou essa ação, proporcionando aos acolhidos vivenciar uma tarde inteira de momentos lúdicos. À noite, o lazer continuou no Universal Park, também localizado na capital cearense.

O evento integra as ações de parceria do Nadij no projeto Defensoria Amiga dos Abrigos. Ontem, o lazer foi garantido em atuação conjunta com a empresária Gisleine Carneiro, Restaurante Benjamin e Pettit Mix Eusébio.

Para o defensor público e supervisor do núcleo, Adriano Leitinho, proporcionar momentos assim cumprem um papel social. “Levar a diversão e o brincar para crianças e adolescentes dos abrigos tem suma importância, pois contribui para o desenvolvimento saudável, conforme prevê o artigo 17 do Marco Legal da Primeira Infância”, argumenta. Segundo esse artigo da lei, criada em 2016, “União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão organizar e estimular a criação de espaços lúdicos que propiciem o bem-estar, o brincar e o exercício da criatividade em locais públicos e privados onde haja circulação de crianças, bem como a fruição de ambientes livres e seguros em suas comunidades”.

Além do resgate às brincadeiras, a ação também se voltou para o restabelecimento de vínculos familiares. Por isso, pais e mães de alguns acolhidos foram convidados a participar, como estímulo à reaproximação. “As crianças com família que estão nos abrigos, geralmente, passaram por diversos tipos de violência, como maus tratos, abusos e abandono. Ocorre que, às vezes, só um dos pais é o culpado pela negligência, então tentamos restabelecer o vínculo com o outro genitor que não cometeu a violência. Por isso, nosso objetivo é refazer essas ligações entre eles, quando possível. Se a violência for um fato isolado e não se repetir mais, tentamos colocar aquela criança em situação de segurança junto à família biológica”, explica Adriano Leitinho.

O projeto Defensoria Amiga dos Abrigos existe há três anos. O objetivo é levar a crianças, adolescentes e abrigos uma visão macro de assistência prestada pela Defensoria Pública, através da promoção da dignidade e desenvolvimento sustentável dos acolhidos. Nesse contexto, são propostas atividades de cultura, lazer, convivência comunitária, em ações dentro e fora dos abrigos, como teatro, circo, clubes, parques aquáticos e universidades.