Principal > Notícia > Profissionais de saúde de Juazeiro do Norte criam fichas de atendimento para identificar mulheres vítimas de violência

Profissionais de saúde de Juazeiro do Norte criam fichas de atendimento para identificar mulheres vítimas de violência

21 de fevereiro de 2020

reuniaocariri

Em casos de violência doméstica o tempo é essencial para garantir a vida da vítima, então o primeiro contato é importante para que o ciclo seja interrompido. Muitas vezes, é no posto de saúde do bairro onde a mulher reside que ela busca por  socorro e pode começar uma nova história. Daí a importância do profissional de saúde ser capacitado para lidar com a situação e atuar no intuito de ajudá-la.

Graças a uma parceria entre a Defensoria Pública e a Unidade de Saúde da Família Dr. Ronerson Justo de Souza (ESF 05/80), no bairro Frei Damião, em Juazeiro do Norte, foi criada uma ficha e um protocolo de atendimentos específicos para as  mulheres vítimas de agressão. Trata-se da “ficha lilás”, que indica aos profissionais que aquela mulher necessita de um atendimento especializado. “Criamos essa ficha para identificarmos a violência. A mulher será atendida com prioridade na unidade de saúde para que o atendimento seja sensível ao momento e também como uma forma de garantir que ela não desista do atendimento ainda na sala de espera”, explica a médica Alyne Alencar, que atua na Unidade Básica.

Em iniciativa voluntária, a médica buscou a rede da proteção da região para debater ações com vistas a um atendimento mais sensível e especializado às vítimas de violência doméstica. O primeiro momento de interação entre os profissionais da saúde do posto do bairro Frei Damião com defensores públicos e representantes dos demais órgãos de proteção às mulheres aconteceu no dia 13 de fevereiro. Participaram o defensor público supervisor do Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher (Nudem) da Defensoria Pública, Rafael Vilar, e representantes da  Frente de Mulheres de Movimentos do Cariri, do Centro de Referência da Mulher de Juazeiro do Norte, do Centro de Referência de Assistência Social  (CREAS) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CRAS).

O defensor público Rafael Vilar elogiou a iniciativa da médica que percebeu no cotidiano do trabalho uma forma de mudar e ajudar às mulheres. “A reunião foi excelente, os profissionais foram sensibilizados em relação à temática da violência contra mulher, foram sanadas muitas dúvidas e colocamos a Defensoria Pública à disposição destas vítimas”, esclarece.

A região do Cariri historicamente registra altos índices de violência contra a mulher. De acordo com dados do Observatório da Violência e dos Direitos Humanos da Região do Cariri, ligado à Universidade Regional do Cariri (URCA), aumentou o número de ocorrências ligados à violência contra a mulher nas cidades de Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte, em 2018. Ao todo, foram 2.390 vítimas nos três municípios, resultando numa média de 6,5 casos por dia. Os números de 2019 ainda não foram consolidados.

“A partir da constatação desses dados, estamos desde o ano passado promovendo ações de educação em direito para toda a sociedade civil. Ações de disseminação de informação fazem parte de um trabalho preventivo que produz bons resultados a médio e longo prazo. Estamos convidando a sociedade civil, o meio acadêmico, além das instituições que compõem a rede de proteção aos direitos de mulheres vítimas de violência para participar deste momento. Como o Cariri é uma região de grande incidência desse tipo de violência, é importante estarmos atuante e presentes diariamente em ações como essa”, ressalta o defensor público Rafael Vilar Sampaio, titular do Nudem Cariri.

Essa realidade também faz parte do cotidiano do bairro Frei Damião. A médica Alyne Alencar esclareceu as dúvidas dos profissionais de saúde em como proceder e encaminhar essas vítimas para os serviços disponíveis.  “De dezembro até o presente momento, a gente tem visto vários casos de feminicídios e vários outros crimes de violência contra a mulher aqui no Cariri. Eu trabalho em um bairro de extrema vulnerabilidade social e comecei a perceber que haviam relatos de mulheres vítimas de violência, das mais diversas, de ameaças à agressões. Esse momento foi importante porque cada órgão presente explicou seu papel de atuação em casos de vulnerabilidade da mulher, tornando a equipe de saúde ainda mais sensível a essas situações”, explicou a médica.

Serviço
Nudem Cariri: Rua André Cartaxo, nº 370, bairro Palmeiral, Crato.
Data da reunião: 13 de fevereiro de 2020